A construção da autoestima começa desde muito cedo, é determinado em grande parte pelas mensagens que a criança recebe dos outros (pais) em relação a si, a criança também percebe no ambiente dados que confirmem estas mensagens dos pais.

Poderíamos definir a autoestima como o sentimento de importância e valor que uma pessoa tem em relação a ela própria. Quem a possui em alto grau confia em suas percepções, julgamentos e acredita que suas iniciativas vão dar certo e lida com os outros com facilidade.

Alguns comportamentos que indicam uma baixa estima nas crianças – idade que esse tipo de postura não é mais esperado – como choramingar, necessidade de vencer sempre, trapacear em jogos, perfeccionismo, distribuir doces e brinquedos e formas de chamar de atenção, devem ser observados pelos cuidadores.

Crianças com essas características precisam de atividades que envolvam experiências com os sentidos, focalizando as diferenças entre elas próprias e outras pessoas; a consciência destas diferenças contribuirá para que se posicionem de forma diferente.

São várias experiências que potencializam a autoestima positiva nas crianças, pequenas conquistas como vestir-se sozinhas ou conseguir amarrar o sapatos, permitem que experimentem sentimentos de realização e autoconfiança, o que reforça a autoestima, principalmente quando há elogios por parte dos cuidadores.

Por isso, é importante que as crianças tenham um certo nível de autonomia; é natural que ao tentarem atingir um objetivo pela primeira vez falhem, até mais do que uma vez, mas certamente após várias tentativas vão ser bem-sucedidas, desenvolvendo dessa forma ideias positivas acerca das suas capacidades.

É portanto, um processo dinâmico, a autoestima modifica-se ao longo do desenvolvimento; geralmente na pré-adolescência ou no início da adolescência um certo desconforto em relação a si mesmo é comum.

Mas como se pode promover autoestima com as crianças?

* Não valorize pequenos erros que a criança comete;
* Demonstre interesse e orgulho pelas conquistas que alcança;
* Elogie a criança sempre que ela alcançar um objetivo;
* Mostre interesse em participar de alguma atividade com ela, como brincadeira, assistir um desenho e etc.
* Evite comparar com outras crianças.
* Caso a criança tenha insucesso ou até um comportamento inadequado, critique a ação e não a criança, explicando em linguagem clara o porquê daquela situação.

Crianças buscam aprovação e reconhecimento dos cuidadores, educadores e pessoas significativas, por isso, busque sempre motivar a criança, elogiar as atitudes no momento adequado e respeitar a sua individualidade e por fim, lembre-se não brinque com os erros e defeitos.