“Defrontamo-nos então com o trabalho de adaptar nossa técnica às novas condições”
Sigmund Freud, Os caminhos da terapia psicanalítica (1910).

É comum as pessoas perguntarem sobre quanto tempo dura uma psicoterapia. Ouço muito essa pergunta e percebo que alguns acreditam que se deve ficar muitos anos realizando um processo terapêutico – o que dificulta algumas pessoas de procurarem um profissional – enquanto outros acreditam que com pouco tempo e poucas sessões ficará “curado”, enquanto outros não tem ideia do tempo da psicoterapia.

Bem, antes de esclarecer essas dúvidas é importante verificar que poucas pessoas conhecem sobre a diversidade da própria psicologia e das diferentes formas de condução de uma psicoterapia; portanto, cada profissional trabalha de uma forma diferente da outra, levando em conta abordagem teórica, local de trabalho, motivação do paciente e etc.

Apesar de trabalhar com a abordagem teórica da psicanálise, muitas pessoas acreditam que trabalhamos só com a terapia a longo prazo; bem, antigamente os profissionais trabalhavam com o modelo clássico, que preconizava por exemplo, mais de uma sessão semanais, uso de divã e etc. mas atualmente temos correntes que preconizam um trabalho diferenciado e focal na problemática do paciente, neste caso, portanto, não é necessário ficar anos em terapia, talvez com alguns meses a diminuição dos sintomas é visível.

Mas é importante frisar que nem todos os pacientes se beneficiaria de uma terapia assim, pois depende da patologia, por exemplo; há casos que são importantes a terapia em longo prazo.

Atualmente com as demandas de planos de saúde, exigem que os profissionais se adaptem as novas exigências, assim como a frase de Freud que abre esse texto. Mas, mais uma vez, nem sempre as sessões oferecidas exclusivamente pelo convênio serão suficientes para o encerramento de uma terapia, mas já é uma porta de entrada para uma diminuição do que aflige o paciente no momento.

Portanto, a duração da psicoterapia depende de muitos aspectos relacionados com a queixa do paciente, presença de patologia, tempo de duração da problemática e muitos outros aspectos, que podem ser conversados com o profissional logo no começo do processo terapêutico.