A demanda por psicoterapia infantil é cada vez maior, são solicitações da escola, do pediatra ou até mesmo de familiares e pessoas próximas.

Mas o que leva os pais a buscarem a psicoterapia infantil? Quando é realmente necessário?

Em geral as crianças manifestam comportamentos que indicam quando algo não está bem, mas a grande maioria dos pais reluta em procurar um psicólogo infantil. Há uma tendência dos pais em pensar que ele está passando por uma fase e que irá superar sozinha ou quando o filho ficar mais velho, irá passar.

A maioria das famílias preferem não acreditar que seu filho tem algum tipo de problema que possa necessitar de ajuda profissional. Alguns pais secretamente sentem que são eles que podem precisar de ajuda, e este fato não é muito fácil de encarar.

Não é algo simples julgar o momento apropriado para trazer uma criança à terapia. Muitas crianças manifestam os tipos de comportamento que indicam haver alguma coisa errada como: brigando demais de modo que alguém note, voltando a fazer comportamentos infantis, agressividade excessiva, tristeza e choro, isolamento entre outros.

No momento em que os pais dão o primeiro telefonema pedindo ajuda, em geral a situação já se tornou muito difícil, se não intolerável, seja para os próprios pais ou para a criança. Até mesmo se os pais não são diretamente afetados pelo comportamento do filho, chegaram a tal grau de desconforto, ansiedade ou preocupação que se sentem impelidos a tomar alguma atitude.

Alguns pais trazem seus filhos para terapia por que algo de anormal aconteceu, e querem ter a certeza de que a criança expressa e esgota quaisquer sentimentos que a oprimam, resultantes de indecentes como divórcio, doença de alguém muito querido, maus tratos ou alguma experiência assustadora como acidente ou algum tipo de violência.

Mas de fato como determinar a “hora certa” ou saber se o problema vai se resolver por si só? Certamente não seria adequado buscar um profissional toda vez que houvesse qualquer conflito e problema.

A dica que para os pais é que possam observar e conhecer o seu filho, muitas vezes os próprios pais podem ajudar em momentos difíceis com diálogos, histórias pessoais de superação, mas por vezes a procura de um profissional é adequada, pois são intervenções que ajudam a criança a entender e a lidar com o que ela vivencia.

Quando os pais não conseguem ajudar o filho, a Orientação de Pais pode ser uma alternativa, no entanto quando o sofrimento da criança é grande, a psicoterapia infantil é necessária.

O psicólogo é um profissional capacitado para ajudar a criança e os seus pais / responsáveis a reconhecer suas dificuldades, conflitos e sentimentos, é um trabalho de parceria, que envolve muitas vezes a escola ou outros contextos que a criança possa estar envolvida, para que tenha sucesso é fundamental a participação da família e paciente.

Para ilustrar tem esse vídeo no nosso Canal no Youtube, que mostra de maneira simples e abreviada “O que um psicólogo infantil faz?”.