Constantemente recebo pais preocupados com o bem estar dos filhos, após o processo de separação. Apresento algumas dicas, que podem ser úteis no processo:

1. EVITE BRIGAS E DISCUSSÕES NA FRENTE DOS PEQUENOS: Não há dúvidas de que o divórcio causa uma ruptura dolorosa na família, mas ele não precisa ser destrutivo, pais que conseguem dialogar com respeito (sem brigar) são capazes de reduzir os desconfortos e chateações dos filhos.

2. NÃO FALE MAL DO EX-COMPANHEIRO: Para que a vida dos pequenos não fique ainda mais difícil, os pais precisam agir com muita responsabilidade. Deve-se tomar cuidado para não minimizar a imagem do ex, desejando comprar mais, oferecer mais, ser mais para ser o melhor.

3. ESCUTE A CRIANÇA: Tenha uma conversa objetiva, sincera e amorosa com seu filho. O silêncio dos pais pode deixar a criança perdida, insegura e confusa. Ao falar, seja carinhosa e diga que você também quer ouvi-lo. Provavelmente ele fará algumas perguntas sobre sua decisão. Se não souber responder, é preciso dizer que não sabe e pedir ajuda para pensar junto.

4. MANTENHA O CONVÍVIO DA CRIANÇA COM PARENTES DE AMBOS OS LADOS FAMILIARES: Privar o filho de encontrar os familiares do ex-marido, por exemplo, só vai fazer com que ele se sinta ainda mais triste com a situação. O distanciamento de primos, tios ou avós, que antes eram próximos, vai privar a criança de um carinho indispensável, em caso de separação.

5. ACOSTUME-SE COM A IDEIA DE TER SEU EX SEMPRE POR PERTO: Mesmo que a separação não tenha sido amigável, vocês terão de conviver. Por isso, se não concorda com alguma atitude dele relacionada à educação das crianças, não o desautorize na frente delas. Chegue a um acordo “nos bastidores”.

6. AVISE OS PROFESSORES E EDUCADORES E PEÇA PARA QUE ELES FIQUEM DE OLHO NO COMPORTAMENTO DA CRIANÇA: Caso a criança demonstre muita dificuldade em lidar com o processo de separação, vale avisar os professores e procurar a ajuda de um profissional.

7. NÃO TENTE COMPETIR PELOS AFETOS E ATENÇÃO DA CRIANÇA: É importante que com a separação haja a parceria entre os pais, que se esforçarão para serem maduros e responsáveis com a qualidade da relação que terão com seus filhos.

8. TENHA TUDO DETERMINADO NA JUSTIÇA: Organize a vida de todos: procure um juizado e determine as datas de visitas. Aproveite também para combinar um valor de pensão perante o juiz. Há muitos casos em que o casal se separa, mas não oficializa a guarda das crianças num documento. A escolha é perigosa: enquanto não é regulamentada na Justiça, pai e mãe têm exatamente os mesmos direitos e obrigações.

9. NÃO MIME A CRIANÇA OU CEDA A PEQUENAS MANIPULAÇÕES: Não caia em provocações ou chantagens dos filhos. Quando ele disser, por exemplo, “meu pai deixa fazer isso na casa dele”, explique com carinho o porque você não concorda com determinado comportamento.

Fonte: Educar para Crescer.