Na segunda parte do texto, trago algumas dicas para auxiliar o seu filho a lidar com as suas emoções. São dicas práticas que podem auxiliar muito no dia-a-dia com as crianças e adolescentes.

* Converse com o seu filho sobre as emoções

Uma das formas de ensinar o seu filho a lidar com as suas emoções, seriam momentos de conversas, orientações e entendimento sobre o que está sentindo, isso contribui para se que se sinta seguro e que possa contar com os pais. Em momentos de choro, verbalize que está chorando porque sente raiva ou que está decepcionado, mas que tem que lidar com isso, pois a vida tem altos e baixos.

Isso não significa dizer à criança como ela deve se sentir. Significa apenas ajudá-la a desenvolver um vocabulário para expressar exatamente como se sente e o que pensa em relação aos seus sentimentos.

* Ajude-o a expressar a emoção de modo adequado.

Ajude seu filho a nomear as emoções após a ocorrência de eventos significativos. É importante que conversem também sobre a intensidade das emoções, por exemplo, se a criança falar que sentiu alguma emoção MUITO FORTE, converse com ele se de fato foi nossa intensidade, ou se pode estar exagerando na intensidade.

* Lembre-se de que não existem emoções certas e erradas e sim AGRADÁVEIS e DESAGRADÁVEIS de sentir.

Esclareça sempre que as emoções são comuns para todas as pessoas e que ninguém é bom ou mau por senti-las.

* Nunca castigue seu filho por demonstrações de sentimentos negativos, mas também não deixe que expresse de qualquer forma, oriente-o e imponha limites.

A criança precisa entender que seus sentimentos não são o problema, mas o mau comportamento sim. Todos os sentimentos e todos os desejos são aceitáveis, mas nem todos os comportamentos o são. Portanto, os pais têm que impor limites aos atos, não aos desejos e sentimentos.

* Não se oponha ou ignore as manifestações de raiva, tristeza ou medo, ao contrário, as emoções negativas fazem parte da vida. Aproveite momentos de exaltação emocional para ensinar aos filhos importantes lições de vida e a construir um relacionamento mais próximo com eles.

O caminho é conhecer o seu filho. Muitas crianças expressam as emoções de forma indireta, entre os sinais de que uma criança tem algum problema emocional, estão a fome exagerada, perda de apetite, pesadelos, queixas de dor de cabeça e dor de estômago.

Alguns pais tentam ignorar os sentimentos negativos da criança esperando que eles passem, mas não é assim que esse processo funciona. Os sentimentos negativos, como raiva, medo e tristeza, se dissipam quando a criança pode falar sobre suas emoções, nomeá-las e sentir-se compreendida. Este é o momento de os pais demonstrarem empatia, ganham proximidade com os filhos e ensinam-lhes maneiras de lidar com estes sentimentos.

Para entrar em sintonia com as emoções de seu filho, você precisa prestar atenção à linguagem corporal, às expressões faciais e aos gestos dele.

Ao ajudar a encontrar soluções, incentive a criança a pensar sozinha e a resolver os problemas, pergunte-lhe o que ela quer, ajude a escolher as melhores opções pensando em conjunto nas consequências, relembre as opções de sucesso e escolha as opções mais viáveis e eficazes.